Arquivos | novembro, 2011

Padre Arlindo

16 nov

Na Rua Padre Arlindo Vieira, zona sul de São Paulo, também da câmera descontrolada de Andréa Ariani

Este slideshow necessita de JavaScript.

O chiclete que você mastiga não é igual ao meu

16 nov

Foto de Andréa Ariani, fica na Avenida Miguel Stefano, Saúde, em São Paulo.

Pra sonorizar esse pixo, fiquem com o som do Ultraje a Rigor, “O Chiclete”.

Parque Bristol

13 nov

Outra colaboração da Andréa Ariani, todas as fotos tirada na Avenida Padre Arlindo Vieira, Parque Bristol, zona sul de São Paulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na Radial

12 nov

Na Radial Leste, São Paulo. Foto tirada do busão por Andréa Ariani

Mais Chivitz

12 nov

Texto de Andréa Ariani

 

E por falar em Chivitz, esse vídeo mostra o artista
pintando ao vivo durante a Feira Cultural da E.E. Emiliano, em Pinheiros, São Paulo.

O vídeo tem o título de “Jovens, Estudem” e tem de trilha “Eu não sei” do Ratos de Porão


Grafite reverso pode ser banido nos Estados Unidos

11 nov

Texto de Andréa Ariani

A técnica de usar jatos de água para imprimir imagens, também  conhecido como grafite reverso pode ser proibido na cidade de São Francisco (EUA). Artistas tem usado as waps  para “limpar” a cidade e deixar, através do stencil, o desenho impresso em calçadas e paredes.O site Adweek divulgou uma reportagem da ABC em que a possível proibição é discutida. Mesmo sendo uma obra temporária, as autoridades americanas afirmam que qualquer forma de grafite é proibido e infringe as leis do país. Nem sujar nem limpar, qualquer ação é proibida.Em resposta, Jim Bowes, fundador do movimento Greengrafitti diz que através do grafite reverso, sem papel ou tinta, as mensagens são transmitidas.

A mesma reportagem informa que artistas de outros locais como Londres e Berlim já sofreram perseguição por usar o reverse grafitti para limpar e divulgar suas idéias. Algo que a ABC não cita é que o brasileiro Alexandre Orio também teve esse tipo de problema. Sua técnica de utilizar panos para fazer caveiras nos viadutos paulistanos causou uma dura perseguição da polícia e da prefeitura.

Mas essa uma história para outro post. Por enquanto, veja o vídeo completo da matéria do Adweek e o vídeo da ABC.

Centro de São Paulo

11 nov

Fotos de Andréa Ariani

O grafite da Avenida Ipiranga é do Chivitz

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Pixo”, um clássico da intervenção paulistana

10 nov

Texto de Andréa Ariani

“A pixação de Sâo Paulo é fechada. É da pixação pra pixação. Ela não se comunica com a sociedade. Ela é uma agressão. Ela é feita para agredir a sociedade”.
A declaração acima é do fotógrafo Choque, um dos personagens do documentário “Pixo” de João Wainer e Roberto T. Oliveira.

==

“Pixo” foi lançado em 2009. O filme é uma produção do fotógrafo João Wainer e seu irmão Roberto T. Oliveira. O documentário participou da 33ª edição da Mostra Internacional de São Paulo e segundo o release da época, participou também da exposição Né dans la Rue (Nascido na Rua), da Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, em Paris. “Pixo” mostra a realidade dos pichadores, acompanha algumas ações, os conflitos com a polícia e mostra um outro olhar sobre algumas intervenções já muito exploradas pela mídia. O filme não traz respostas, mas fornece argumentos para o debate: pichação é arte ou é crime?

Ainda segundo Choque, “a cidade de São Paulo se tornou um centro verticalizador das letras, ou seja, a escrita da pixação de São Paulo vai seguir as linhas da cidade. É como se São Paulo fosse um caderno de caligrafia gigante e os pixadores vão preenchendo esse espaço.”

E você, o que acha?

Pixos em Uberlândia

5 nov

Recentemente, nossa colaboradora Andréa Ariani esteve em Uberlândia, Minas Gerais, e trouxe estas fotos de pixos do Triângulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maior grafite do mundo em Guadalajara

4 nov

Texto de Andréa Ariani

Os Jogos Pan-Americanos terminaram, mas além do legado de aparelhos esportivos, Guadalajara superou o Brasil na execução do maior grafite do mundo. Com o lema “Fazer da paz nosso esporte mais praticado”, mais de 750 pessoas participaram da elaboração do painel inspirado no Pan.

Com o intuito de divulgar novos artistas de rua e vincular o valor do esporte como elemento de união, a tela de 1,5 m de altura foi criada sob o tema “O esporte e a paz”. Com apoio do Ministério da Cultura local, grafiteiros, estudantes e voluntários pintaram 500 imagens diferentes inspiradas no atletismo, na natação e no boxe.

Para compor a obra, mais de 3mil latas de spray foram utilizadas. Até esta segunda-feira (31/10) o recorde era do Brasil, com uma tela de 1.463 m. O mural será exibido em parques e praças públicas de toda a cidade durante os próximos meses. E os organizadores tentaram registrar o feito no Guiness.

Veja mais fotos na galeria.

Com informações do Terra.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 911 outros seguidores